06/01/2020 às 18h12min - Atualizada em 06/01/2020 às 18h12min

Verão pede praia, piscina e cachoeira, saiba como proteger as crianças e evitar afogamentos

Mais de 90% das causas de mortes por afogamento acontecem porque as pessoas ignoram os riscos, não respeitam os limites pessoais e não sabem como agir no momento. Os mesmos motivos valem para os pais que subestimam a ameaça da água para as crianças, e superestimam a capacidade dos filhos de se protegerem. E como explica David Szpilman, diretor médico da Sobrasa, o afogamento não pode ser considerado um acidente porque tem prevenção, e os pais precisam entender que o risco da água para a criança é diferente daquele para o adulto.

Riscos iminentes

Há dois fatores fundamentais que as pessoas, especialmente as famílias, devem ficar atentas ao se prevenirem contra afogamentos: o risco do ambiente e o comportamento de risco. “O risco do ambiente varia. Na piscina será um, na praia, cachoeira, lago e represa serão outros”, explica Szpilman. “Cada local com água tem um risco diferente, e varia conforme a idade da pessoa. Por exemplo, uma piscina em uma casa tem um risco pequeno para o adulto que, mesmo sem saber nadar, podem facilmente chegar à borda. Além disso, as piscinas residenciais, em geral, são rasas. Mas essa mesma piscina apresenta um risco grande para uma criança de dois anos. Então, deve-se cercar a piscina, evitar que a criança entre nessa área, e assim diminuir o risco”, alerta.

Escolhas menos arriscadas

Além dos riscos que os ambientes aquáticos impõem aos pais, eles devem ficar atentos também aos comportamentos de risco. “Um pai em uma piscina infantil, que coloca uma boia de braço na criança, e sai para conversar com os amigos, interpreta a boia como um objeto de segurança e que evitaria o afogamento da criança. Em parte ele tem razão. Mas, a boia pode furar, a criança pode perdê-la, alguém pode afundar a criança na piscina mesmo com a boia. Então, o risco continua. Deixar de ter a supervisão do pai é um comportamento de risco”, explica o médico.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »